Vodka, E sua historia...

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Vodka, E sua historia...

Mensagem  Fernando Moreira em Seg Mar 21, 2011 4:02 am

Existe uma grande discussão a respeito de a produção de vodka ter se iniciado ou não na Rússia. Por isso achei por bem lancar algumas ideias para a discussão.

No final da década de 1970 as empresas russas produtoras de vodka foram ameaçadas de não mais poderem utilizar o nome vodka em suas bebidas sob o pretexto de que este nome (vodka) seria de uso exclusivo de companhias estrangeiras, uma vez que já produziam esta bebida há mais tempo.
Esta alegação se baseava em um decreto do governo russo de 26 de agosto de 1923 autorizando a produção de vodka naquele país, enquanto os outros países já a produziriam desde 1918. Entretanto, aquele decreto assinalava tão somente a permissão para a retomada da produção de vodka na Rússia, proibida desde 1917, ano da Revolução Russa, quando foi mantida a decisão dos governos czaristas de proibição de produção de bebidas alcoólicas desde 1914, durante a Primeira Guerra Mundial.
Esta questão foi resolvida e as indústrias estrangeiras renunciaram ao título de inventoras da vodka.
Pouco tempo depois foi a vez da Polônia alegar a descoberta e o inicio de produção da vodka. Após a publicação dos estudos realizados pelo historiador russo William V. Pokhlióbkin em seu livro História da Vodka em 1991, parece ter sido reconhecida a condição da Rússia como inventora da vodka.
No entanto, sempre permanecerá uma dúvida sobre a prioridade de um lado ou outro em uma região como o leste europeu. Esta região foi motivo de muitas lutas, conquistas e reconquistas por diferentes grupos políticos e sociais. Isto praticamente impede a identificação de um grupo étnico em particular como inventor da primeira versão da vodka.
Entretanto, "vodka" é indubitavelmente uma palavra nativa russa, cujo surgimento data do século XIV. Como bebida, o nome vodka foi reconhecido internacionalmente como um tipo de destilado.
Quando se analisam a terminologia e a cronologia, se vê que o termo "vodka" foi aplicado a produtos completamente diferentes.
O sentido actual da palavra vodka como o de uma bebida alcoólica forte é conhecido amplamente. No entanto, seu real significado em russo é simplesmente água (vodá , em russo), na forma diminutiva vodka (agüinha). Vodotchka, a outra forma diminutiva de vodá também foi associada a uma bebida alcoólica, porém sem uso comercial.
Os primeiros registros do termo vodka aparecem em dicionários publicados no final do século XIX e início do século XX já com seu significado de bebida alcoólica forte.
Supõe-se que o motivo pelo qual uma bebida alcoólica forte tenha recebido o nome de vodka (agüinha) se deva à importância que os russos davam à água proveniente de suas fontes e rios cristalinos, como base para a produção de todas as bebidas. Daí também porque outras bebidas destiladas no leste europeu terem recebido o nome de "aqua vitae" (água da vida).
O termo vinó, utilizado nos séculos IX ao XIII para designar o vinho de uva, ganha novo significado a partir do século XIV, após o aparecimento de uma bebida forte com características embriagantes. Assim, se supõe que a vodka tenha aparecido antes que seu nome surgisse.
Nos séculos X e seguintes, além do vinho de uva, uma outra bebida chamada hidromel, produzida a partir da fermentação do mel, também se tornou importante. Era a principal bebida consumida pela população russa, de fácil produção e fartamente disponível.
Mais tarde, por volta do século XV, o mel, enquanto matéria-prima para a produção de bebidas, se tornou escasso. Assim, encontrou-se nos cereais a matéria-prima mais barata e disponível para a produção local de bebidas alcoólicas, principalmente alguns tipos de cerveja, chamados kvas, sikera, ol ou pivo.

Desta forma, pode-se afirmar que na Rússia, entre os séculos IX e XIV, havia cinco tipos de bebidas alcoólicas:

1. o vinó - vinho de uva
2. o hidromel - fermentação do mel
3. a beriozovita - fermentação da bétula
4. o kvas - cerveja comum
5. o ol - cerveja forte

O kvas e o ol eram produzidos a partir da fermentação artificial de cereais - centeio, cevada e aveia.

Entre os séculos XV e XVI novas bebidas feitas a partir da destilação de cereais fermentados surgiram, todas recebendo nomes semelhantes aos das bebidas já conhecidas. Tratava-se portanto da primeira bebida de cereal obtida pela destilação do produto da fermentação de cereais ricos em açúcar e amido.
Os registros apontam o ano de 1386 como um provável marco na origem da palavra vodka quando se conheceu a "aqua vitae" trazida de Kafa, colônia genovesa na Criméia, por um embaixador genovês em visita à Lituânia. Como a bebida fosse forte, a sua diluição em água pode ter originado o termo vodka para tal mistura.

Surgimento da Destilação


Não poderei falar de vodka sem abordar a técnica que deu lugar a esta bebida “Destilação” técnica cuja origem gera muita discussão e discórdia no mundo das bebidas.

Os três métodos de produção de bebidas alcoólicas na Rússia nos séculos XIV e XV eram a fermentação natural de sucos de frutas e seivas de árvores, a fermentação natural do mel e o aquecimento do malte de cereais com posterior fermentação. É possível que a destilação seja resultado do desenvolvimento destas técnicas.
Uma particularidade foi a observação de que o centeio era o cereal que propiciava a bebida alcoólica de melhor sabor para a produção de cervejas.
A prática de ferver a mistura dos cereais fermentados pode ter resultado na destilação acidental do álcool. Por outro lado, há quem não considere a destilação do álcool um mero acidente já que seu início, durante o século XV, coincide com o desenvolvimento da produção de piche a partir do aquecimento da madeira.
De qualquer forma, sabe-se actualmente que a destilação foi inventada no oriente e depois trazida para o ocidente. A destilação foi trazida para a Europa no século X proveniente da China. A partir daí, a processo se difundiu pelo leste europeu, podendo ter chegado independentemente à Rússia e à Polônia na mesma época.
Como conseqüência da aquisição desta nova tecnologia, antes mesmo do aparecimento da vodka propriamente dita, se obtinha um álcool no processo de fermentação do mosto da cerveja ou da solução de mel. Este álcool podia ser ingerido.
Os potes contendo os fermentados de mel ou o mosto de cerveja eram levados ao forno e, durante seu aquecimento, ocorria a destilação espontânea do álcool que se condensava e pingava em tinas colocadas embaixo dos potes. Quando o mosto de cerveja foi substituído por farinha de cereais (aveia, cevada ou centeio), se obteve o álcool do cereal. Este álcool porém, não era puro e sua obtenção era lenta e dispendiosa. Por isso, a produção de bebidas destiladas antes do século XV, através do método dos potes, não se desenvolveu.
Esta análise permite assegurar que até o século XV a destilação do álcool não era conhecida na Rússia e que a vodka ainda não fora inventada. Por outro lado, sabe-se que no início do século XVI a destilação de cereais para obtenção do álcool já estava totalmente implantada na Rússia. Portanto, a vodka surgiu em algum momento entre a segunda metade do século XIV e o início do século XVI.
Obviamente, a destilação do álcool evoluiu de forma gradual durante vários anos. Entretanto, o estímulo para a produção do álcool esteve intimamente ligado a fatores sócio-econômicos.
Um fenômeno econômico importante foi a introdução do monopólio sobre a produção e a venda das bebidas alcoólicas destiladas, concomitantemente ao início da destilação do álcool. Isto porque as bebidas, particularmente as vodkas, despertavam grande interesse comercial, pois o valor da bebida pronta ultrapassava os custos da matéria-prima e de produção em dezenas de vezes. Tudo associado ao baixo custo do transporte e ausência de problemas de armazenagem, já que o produto não estragava.
Isto facilitou a distribuição e a venda da vodka e a tornou alvo de taxação e do monopólio estatal, ainda mais numa fase de formação do Estado Russo, na qual havia necessidade de grandes somas de dinheiro.
O surgimento da vodka marca um dos primeiros produtos industriais descobertos na Rússia medieval e que exerceu um poderoso efeito sobre a economia provocando um grande impacto social, pois foi rapidamente assimilado pelas massas.
As "tavernas do czar" foram os estabelecimentos comerciais estatais que promoveram a venda de vodka em larga escala.
Do ponto de vista social, as tavernas propiciaram o aparecimento de uma nova camada social, os pobres urbanos: rebeldes e alcoólatras.
O status legal (monopólio) e o status social (venda em escala) para a vodka, reconhecidos pelo Estado, exigiam e asseguravam a produção de uma bebida da mais alta qualidade possível para aquele determinado período. Tudo isto para garantir o prestígio do Estado com relação ao produto e impedir sua falsificação.
Assim, a vodka só pode ser realmente considerada vodka quando se transformou num produto cuidado e protegido pelo Estado.
Na segunda metade do século XIV, o Grão-Principado de Moscovo era o maior e mais poderoso principado russo. Sua agricultura era bem desenvolvida e apresentava condições para ampliar seu potencial em assimilar inovações tecnológicas.

Estas condições em Moscovo eram:

1. População estabelecida
2. Agricultura desenvolvida
3. Mais cidades (comércio de excedentes)
4. Mosteiros equipados para produção
5. Maior demanda por mel e cera
6. Produção de cereais para exportação
7. Necessidade de lazer e distração
8. Centro político

Assim Moscovo, como primeiro estado centralizado da Rússia reunia as condições políticas, econômicas, sociais e tecnológicas para a produção da vodka. Considerando-se a exigência de monopólio do Estado sobre a produção da vodka, o que somente poderia acontecer sob um Estado centralizado e autocrático, é factível se afirmar, pelo menos de forma indireta, que a vodka surgiu no principado de Moscovo.
Facto significativo foi o de a bebida ser expressa como "vodka de Moscou" desde o século XVII até o século XIX, estando firmemente inserido na fala popular.
Os vários fatores que solidificaram o Estado de Moscovo nos séculos XIV e XV culminaram numa situação de prosperidade que pode ter sido conseqüente à ou ter resultado na produção da vodka. Isto deve ter ocorrido entre 1460 e 1500.
Assim, é claro o facto de o desenvolvimento econômico de Moscovo nos séculos XIV e XV proporcionar o surgimento da destilação do álcool em decorrência do apogeu da agricultura, com seus excedentes de cereais. A data mais tardia para o aparecimento da vodka é o ano de 1478, quando foram introduzidos o monopólio estatal e a taxação sobre a produção de sal e vodka.
A Igreja, através dos mosteiros e de toda infra-estrutura que estes possuíam (pessoas tecnicamente dotadas, conhecimento da técnica de destilação e equipamento necessário), além de terras (que permitiam o cultivo de cereais) aliado à isenção dos "impostos do Czar", levam à conclusão de que a destilação do álcool de cereais surgiu no Estado de Moscovo, provavelmente num mosteiro na Cidade de Moscovo entre 1440 e 1478.
A ausência de registos sobre a vodka na segunda metade do século XV talvez se deva à revolta da igreja (os monges eram os cronistas) com as conseqüências do aparecimento da bebida, a embriaguez.
De qualquer modo, é indiscutível que a produção de destilados se iniciou nos mosteiros e que a destilação do álcool se transformou num dos comércios da economia na segunda metade do século XV, quando o monopólio da vodka se estabeleceu.
Uma análise mais apurada dos fatores sócio-econômicos leva à conclusão de que a vodka surgiu na Rússia entre 1448 de 1478.

Assinado:
Fernando Moreira

_________________
“I can’t change the direction of the wind, but I can adjust my sails to always reach my destination.”
avatar
Fernando Moreira

Masculino Número de Mensagens : 241
Idade : 37
Localização : Luton, Bedfordshire
Emprego/lazer : Director de Restaurantes e Bares/Duty Manager
Data de inscrição : 19/02/2008

Ver perfil do usuário http://www.lutonhoo.co.uk/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum